Notícias

Um dos mais ricos da África, o magnata da mídia Reginald Mengi, morre em Dubai.

Condolências estão surgindo após a morte do magnata da mídia tanzaniano Reginald Mengi nesta quinta-feira, classificado como um dos 50 negros mais ricos da África e pioneiro na área de mídia privada no país. Ele tinha 75 anos.

De acordo com uma das estações de rádio de sua propriedade, Radio One, Reginald Mengi, presidente executivo das empresas IPP, que é um dos milionários da Tanzânia, morreu na madrugada de quinta-feira em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde recebeu tratamento para uma condição não revelada.

Reginald e Jacqueline Mengi Foto: @j_n_mengi / Instagram Fonte: Instagram

O presidente da Tanzânia, John Magufuli, enviou uma mensagem de condolências através de sua conta no Twitter dizendo que a morte de Mengi foi um choque, e os dois homens eram amigos. O líder da Tanzânia disse que se lembrará de Mengi pelo que o líder descreveu como a imensa contribuição de Mengi para o desenvolvimento da Tanzânia.

Uma declaração da Embaixada dos Estados Unidos na Tanzânia, publicada no Twitter, diz que a embaixada ficou profundamente entristecida pelo falecimento de Mengi. A mensagem dizia que seu impacto no crescimento e desenvolvimento de longo prazo da Tanzânia foi além de significativo.

Mengi narrou sua história de sucesso empresarial em seu livro: I Can, I Must, I Will, no qual ele descreve como nasceu em uma família pobre, mas conseguiu superar as circunstâncias e estabelecer um dos maiores negócios não apenas na Tanzânia, mas também em o continente.

Mengi começou a investir em negócios há mais de 30 anos e foi a primeira pessoa a possuir mídia na Tanzânia.

Hoje, sua empresa, a IPP Limited, possui várias estações de TV e rádio, além de jornais na Tanzânia, e também possui participações na indústria de bebidas.

Segundo relatos, o bilionário deixou para trás US $ 560 milhões para sua esposa de 39 anos e ex-Miss Tanzânia, fazendo dela uma das mulheres mais ricas do leste da África.

Sem comentários