Notícias

O Papa Francisco beija os pés dos líderes do Sudão do Sul, instando-os a manter a paz.

Na quinta-feira, o Papa Francisco ajoelhou-se para beijar os pés dos líderes guerrilheiros do Sudão do Sul, num gesto dramático após um retiro sem precedentes no Vaticano.

Papa, no entanto, pediu-lhes para não voltarem a uma guerra civil. Ele também apelou ao presidente Salva Kiir, seu ex-vice-presidente, Riek Machar, e a outros três vice-presidentes para que respeitem qualquer acordo de paz que eles assinaram e se comprometam a formar um governo de união em maio.

“Estou lhe pedindo como irmão para ficar em paz. Eu estou perguntando a você com meu coração, vamos em frente. Haverá muitos problemas, mas eles não nos superarão. Resolva seus problemas ”, disse Francis em suas observações.

Os líderes sudaneses pareciam estar chocados quando o papa de 82 anos, ajudado por ajudantes, se ajoelhou com dificuldade para beijar os sapatos dos dois principais líderes opostos e várias outras pessoas na sala.

O Vaticano reuniu líderes do Sudão do Sul para 24 horas de oração e pregação dentro da residência do papa em uma última tentativa de curar divisões amargas um mês antes de a nação devastada pela guerra criar um governo de unidade.

Sem comentários