Notícias

Agência de Tráfico Humano revela que 20.000 meninas e mulheres nigerianas foram vendidas para redes de prostituição no Mali.

Desde Dezembro de 2018, a Agência Nacional para a Proibição do Tráfico de Pessoas (NAPTIP) publicou informações de que 20.000 meninas e mulheres nigerianas foram levadas para o Mali para serem forçadas a se prostituir. As meninas e mulheres, principalmente entre 16 e 30 anos, estão sendo enganadas por traficantes de seres humanos que mentem para as mulheres sobre o emprego legal em países como a Malásia.

Segundo o oficial da organização, Arinze Osakwe, essa é uma tática que está se tornando muito comum no país. “A nova tendência é que eles digam que serão levados para a Malásia, mas apenas para se encontrarem no Mali”, disse Osakwe. “Eles disseram que iriam trabalhar em restaurantes bem estabelecidos, onde receberiam US $ 700 por mês”.

Osakwe também revelou que a organização resgatou 104 garotas na capital do Mali, Bamako, em 2011, “e esses são os que querem voltar para casa”. Além disso, aqueles que voltaram para casa tinham “entre 13 e 25 anos de idade e ficaram presos no país por muitos anos”. Para apoiar seus esforços ao lado da aplicação da lei em Mali, o NAPTIP fez uma parceria com a Agência Nacional de Gerenciamento de Emergências e a Organização Internacional para Migração.

Julie Okah-Donli, diretora geral do NAPTIP, disse que essas meninas e mulheres também podem ter sido traficadas para países como Gana e Costa do Marfim, informou a Reuters. Okah-Donli também descreveu os espaços físicos em que essas mulheres e meninas viviam.

“Eles foram informados pelos moradores de que tinham mais de 200 lugares espalhados pelo sul do Mali”, disse Okah-Donli. “Em cada um dos barracos onde eles estão presos, eles tinham entre 100 e 150 meninas.” Ela acrescentou que foi assim que a organização chegou ao número de 20.000.

Sem comentários