EssênciaNotícias

Crise de identidade racial entre brasileiros negros.

Por: Marcelo A. A.

Poucos meses após a primeira inicialização do nosso site de notícias de entretenimento oinegro.com.br. Encontramos vários pontos de vista complicados de Brasileiros negros que acham que a ideia de ter um site que forneça conteúdo para negros é separatista, rude ou racista.

O Brasil sendo um dos países com a maior população de negros fora da África, aparentemente, tem um número muito alto de negros em autonegação de sua própria raça. Foi surpreendente para o mundo quando o jogador Neymar disse que não era negro. Mas no Brasil essa declaração intrigante de uma pessoa negra é comum.

As palavras de Neymar revelaram as maneiras complicadas, muitas vezes contraditórias, que muitos Brasileiros falam ou deixam de falar sobre raça.

Ao contrário da regra comum de uma gota, em que uma pessoa é branca ou negra na maioria dos países, os Brasileiros classificam diferentes tons de cor da pele que podem ser parte da razão para a confusão ou negação da identidade racial. O jogo final para muitos negros Brasileiros em tais crises de identidade é o branqueamento de sua raça, devido a vários fatores que podem ser sociais ou pessoais como discriminação racial, falta de auto-estima, preconceito histórico sobre padrões de beleza no país que sempre inclinar-se para recursos genéticos brancos como cabelos lisos, olhos azuis, nariz fino.

Demorou muito tempo até que cremes para o corpo como o Vasenol para negros fossem vistos nas prateleiras do Brasil. Ou os produtos de cabelo comuns para cabelos naturais cacheados que agora estão se tornando moda. Fabricantes de produtos para produtos de beleza negros parecem ter medo de usar modelos completamente negro. No Brasil, poucos estão dispostos a falar publicamente sobre racismo ou tocar no assunto. A suposição geral no Brasil é que se você não falar sobre isso (racismo), ele desaparecerá.

Como anteriormente pensado pelas elites brasileiras que – (* 1) “o branqueamento racial vai acabar totalmente com o problema de ter pessoas negras no país, como afirma um estadista brasileiro”.

A classe elite montou uma campanha para branquear a população negra, subsidiando totalmente a imigração de mais de quatro milhões de Europeus brancos, dando-lhes terras de graça e obrigando os Brasileiros a lidar com eles.

(* 2) “O povo brasileiro, mais do que qualquer outro, precisa da influência dos povos avançados na construção de uma raça”, dizia um panfleto de 1914, “especialmente no momento histórico em que a porcentagem representada pela raça Africana começa a declinar e deve desaparecer no redemoinho da raça branca ”.

Mas os mesmos negros que não estão fazendo nada a respeito da situação reclamam sobre apropriação indébita cultural, invisibilidade ou deturpação na mídia popular, entre outros desafios. De minha observação, o problema fundamental é a falta de solidariedade entre os Afro-Brasileiros.

Internacionalmente, muito poucas pessoas se sentir ofendidas ao descobrir sites como blackplanet.com, blackpeoplemeet.com, blackcupid.com, ebony.com ou BET.com. Existem poucos exemplos brasileiros como mundonegro.inf.br, blogueirasnegras.org e aldeianago.com.br que produzem conteúdos Afro-Brasileiros.

Bem, como você ajuda um grupo de pessoas desesperadas a branquear sua raça para abraçar ser negro? Aqueles que têm vergonha de se associar com outras pessoas negras. Aqueles que têm medo de ter uma criança negra? Quem vê o casamento interracial como status social ou entra no casamento interracial por desejo de ser aceito socialmente. O nível de complexo de inferioridade entre esse grupo de pessoas parece esmagadoramente alto.

Meu conselho é primeiro aceitar que você é negro e amar a si mesmo do jeito que você é, mesmo se você tiver uma herança mista, isso realmente não importa. Se você já esteve na Europa ou fora do Brasil, vai entender mais. Os europeus vêem a maioria dos brasileiros como negros, incluindo aqueles que são vistos como brancos no Brasil.

Afro-Americanos e Britânicos negros entenderam rapidamente a importância da solidariedade racial. E podemos facilmente dizer que eles são os negros mais bem-sucedidos e progressistas do mundo, independentemente da porcentagem que ainda está lutando em comparação a qualquer outro povo negro na diáspora. Eles não exibem o mesmo complexo de inferioridade que os Afro-Brasileiros.

Pessoas como Obama provavelmente não teriam sido presidentes sem o apoio do Caucus Negro do Congresso. Existem vários grupos de apoio negros que ajudaram os Afro-Americanos a se tornarem o que são hoje. Se os negros não começarem a conversar um com o outro, as coisas permanecerão as mesmas. Tudo não precisa ser ativismo. Uma das coisas mais importantes que os negros fazem entre si são os programas de orientação e os grupos de apoio.

Nosso foco no oinegro.com.br é cultura, música, filmes e estilo de vida dos negros em geral. A questão é: hip-hop, R&B ou jazz podem ser separados de suas raízes negras? Ou do fato de que 99% dos artistas desses gêneros são negros? Para nossos fiéis leitores, pardos, brancos ou negros, agradecemos seu apoio. E continuaremos a atendê-lo com os conteúdos de que você gosta.

E para quem perguntar o que gostaria se houvesse um oibranco.com. Bem, obviamente, a televisão brasileira, revistas, escritórios e espaços executivos, bons restaurantes e hotéis, apartamentos de luxo e bairros nobres são aparentemente oibrancos.

 

* 1 Wikipedia – https://en.wikipedia.org/wiki/Racial_whitening
* 2 Cleuci de Oliveira – https://www.nytimes.com/2018/06/30/opinion/is-neymar-black-brazil-and-the-painful-relativity-of-race.html

Sem comentários