Notícias

Garotas do ensino médio de Indiana, ameaçadas por intimidação racista, qeu seriam vendidas como escravas.

Para quem acha que os #negros têm melhor espaço nos EUA do que no Brasil; pense de novo. Os pais de duas meninas do ensino médio de Indiana estão exigindo ação depois que suas filhas expressaram sua preocupação em ir à escola em meio a um #bullying #racista que ficou praticamente impune.

De acordo com o The Indy Channel, Alexander Wortham foi o primeiro a perceber que algo estava errado depois que sua filha, Imani, começou a pedir para ficar em casa com mais frequência. Ele e o outro pai, Dominique Duncan, descobriram que os dois adolescentes estavam no fim da horrível bullying racista na escola Horizon Christian.

“O silêncio está matando nossos jovens”, disse Wortham. “As pessoas não estão enfrentando o problema. Não confrontar o problema adequadamente e acho que para nós, como pais, basta. ”

Imani e sua amiga, LaShanti, dizem que um garoto na escola começou a ameaçá-los e até disseram que ele venderia uma das garotas para a escravidão.

“Se a escola for atingida, você será o primeiro a ser baleado”, disse o garoto.

“Ele apontou para mim pessoalmente, ele me olhou nos olhos”, Imani acrescentou.

“Ele disse que me venderia como escravo se eu não fizesse o que ele dizia e então começou a fazer pequenos jingles sobre a escravidão”, revelou LaShanti.

O menino foi suspenso da escola na semana passada depois que Wortham e Duncan denunciaram o bullying aos funcionários da escola, no entanto, o valentão foi autorizado a retornar à escola na segunda-feira passada, deixando as duas meninas tão incomodadas que não quiseram ir à escola na semana seguinte. .

“Devemos ser capazes de ir à escola e não nos sentir ameaçados, com medo ou ter que ficar no limite o tempo todo”, disse Imani ao site de notícias.

Wortham e Duncan estão exigindo que a escola crie mudanças políticas em torno do bullying, e recomendou que a escola organize uma assembléia ou traga especialistas para começar a mediar conversas sobre raça e bullying.

No entanto, o diretor se recusou a comentar sobre o incidente para a estação de notícias dizendo que eles não poderiam falar sobre os alunos sem a permissão dos pais dos envolvidos.

Ducan disse ao site de notícias que se sentia “muito decepcionada” como mãe.

Sem comentários