Notícias

O torcedor do Chelsea perde o emprego por causa do canto racista contra Raheem Sterling.

Um torcedor do #Chelsea perde o emprego depois que foi revelado que ele estava entre os espectadores que supostamente abusaram racialmente do atacante do #ManchesterCity, #RaheemSterling.

Colin Wing, de 60 anos, se manifestou para protestar contra sua inocência e alega que não chamou o internacional inglês de “black c**t” (preto p**ta), tenha admitido abusar verbalmente do jogador.

Ele disse ao Daily Mail:

“Estou profundamente envergonhado pelo meu próprio comportamento e me sinto muito mal. ‘Mas eu não chamei ele de preto p**a, eu chamei ele de Manc “p**a ‘ (P**a de Manchester)

Ele disse que perdeu o emprego e o ingressos do clube depois de ser identificado e que agora deveria ser deixado em paz porque todos “conseguiram o que queriam”.

Mas Sterling, de 24 anos, disse que ouviu o abuso racial e desde então falou à polícia sobre o incidente. O Chelsea disse que vai aplicar severas sanções se ficar provado que alguns de seus torcedores abusaram racialmente de Sterling durante a vitória de sábado por 2 x 0 sobre o Manchester City, em Stamford Bridge.

O clube de Londres, que suspendeu quatro torcedores enquanto prosseguem as investigações sobre os supostos abusos contra Sterling, também disse que apoiará qualquer processo criminal. Esta situação nos lembra rapidamente das lutas de Daniel Alves com o racismo em campo há alguns anos atrás.

Sem comentários