Notícias

Drake ganha um processo contra a mulher alegando que ele a estuprou e a engravidou.

Drake resolveu seu processo contra Layla Lace (nome real Laquana Morris), uma mulher que supostamente alegou falsamente que ela foi estuprada e impregnada pelo rapper.

Isso foi revelado pelo advogado de Drake, Larry Stein, em uma declaração feita ao TMZ.

“A apresentação feita por Drake contra Layla Lace foi resolvida, com Layla evitando ir a julgamento concordando com um julgamento estipulado que a proíbe de repetir declarações que ela fez contra Drake”

“Drake e sua equipe estão satisfeitos com este resultado e, enquanto Drake aprecia o apoio que recebeu, ele pede que seus fãs e a mídia permitam que ambas as partes continuem com suas vidas.”

Em setembro, Drake entrou com um processo contra Morris por extorsão civil, fraude, sofrimento emocional, abuso de processo e difamação. No processo, o rapper admite ter tido sexo consensual com Morris enquanto estava em um hotel em Manchester, Inglaterra, em fevereiro de 2017.

De acordo com o processo, Morris afirmou que ela reservou um voo para vê-lo, mas o processo alegou que Morris ficou com raiva depois que ela não recebeu uma resposta e ela cancelou o vôo e Drake parou de se comunicar com ela.

Então, em abril de 2017, Morris foi ao Instagram e declarou que estava grávida, alegando que Drake era o pai. Logo depois, ela apareceu em um programa de rádio para discutir a alegação. “Eu sei quem eu durmo com desprotegido, ponto final”, ela disse ao SiriusXM Shade 45. “Então, é 100% de certeza. Ele sabe disso. ”O processo também alegou que Morris também alegou que Drake a estuprou e que mesmo depois que a polícia de Manchester o liberou de quaisquer alegações de agressão sexual, Morris exigiu dinheiro do rapper.

De acordo com documentos arquivados na sexta-feira e obtidos pelo TMZ, o rapper informou ao tribunal que ele e Morris resolveram suas questões legais. Como parte do acordo por TMZ, Morris concordou em se abster de republicar sua postagem no Instagram a partir de abril de 2017, onde fez a reivindicação pela primeira vez e não fará “declarações alegando ou insinuando [Drake] agredido”, engravidou e abandonou-a, ou qualquer outro comentário denegrindo sobre Drake.

Sem comentários