Notícias

Erika Januza relembra ataques racistas no Dia da Consciência Negra

Divulgação: Rayanne Joviano –

O Dia da Consciência Negra, celebrado neste 20 de novembro, tem um sabor diferente para Erika Januza. A atriz tenta seguir em frente após sofrer ataques racistas nas redes sociais no fim de outubro.

“Superar é algo que faço todos os dias”, desabafou a atriz em entrevista ao GShow.

O episódio pegou a participante do Dança dos Famosos de surpresa. Os ataques começaram com uma postagem do ator Caio Paduan, quando uma internauta atacou a atriz.

Érika Januza sofre ataques racistas na web e avisa: “Não abaixo a minha cabeça”

“Esse tipo de comportamento das pessoas sempre me revolta muito. O desejo de ação é sempre maior em mim que o de tristeza. Vontade de fazer alguma coisa para resolver, vontade de falar, desabafar. Mostrar às outras pessoas que dizem que racismo não existe e que é ‘mimimi’ que ele existe sim. Acontece todos os dias. No meu caso, como pessoa pública, ainda consigo fazer com que o fato apareça. A questão é: e os milhares de brasileiros que passam por diversas situações e sofrem agressões no seu dia a dia, através de gestos, palavras ditas e não ditas, olhares. O racismo está nas mais diversas atitudes, infelizmente entranhado em nosso dia a dia”, desabafa Erika Januza.

O caso foi denunciado na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática. “Quem me contou (sobre o ataque) foi o meu professor do Dança, Elias Ustariz. Entrei em contato com Caio. Conversamos e ele me disse que inclusive também levou o caso à polícia. Ele sempre foi muito consciente. Vivemos diversas situações e questionamentos durante nosso último trabalho juntos em O Outro Lado do Paraíso”, explica.

Érika Januza muda o visual para o “Dança dos Famosos”

Quase um mês depois do triste episódio, Erika Januza busca forças para seguir em frente na luta contra o racismo. “Me entristeci fazendo uma retrospectiva das diversas coisas que já passei como mulher negra. E amo ser negra. Me sinto única! Não apenas esta situação, mas tantas outras que enfrento em minha vida. Situações que só quem é negro sabe. Coisas cotidianas, mas que estão ali. Talvez o racista assumido e racista velado nem saibam o que passamos. E nem precisam saber. O que precisam saber é que somos maiores que todo ódio, toda maldade. E saber que racismo é crime”, afirma.

A atriz lembra que o problema é mais grave do que alguns pensam. “O racismo em nosso país está enraizado. Os anos passam, ele se camufla, mas desaparecer jamais”.

Para finalizar, no Dia da Consciência Negra, a atriz faz um apelo a todos: “A Consciência deve existir todos os dias!”

Sem comentários